segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Recebi um email com esta sugestão

A sério?!
Se eu tivesse tempo para fazer estes fofilanchinhos para as minhas cachopas...
Era uma gaja realizada!

Um Abatanado faxavor!

 

Passava da meia noite.
Os ossos estavam regelados.
As pernas não respondiam às ordens emanadas pela cabecinha emocionada e quase em estado zen.
Julgo nunca ter tremido de frio como naquela noite de 12 de Outubro.
No caminho para o carro passamos por um café ainda aberto naquela avenida já quase deserta. dizia na porta snack bar.


- Vamos ali?
- Ah... Tens fome?
- foda-se! tenho, e tu não?
- ó pá olha a lingua! 
- mas tens fome ou não?
- morfava qualquer coisita.
- olá boa noite! ainda dá para comer qualquer coisa? (já estavam a contar moedas)
- olhe assim comida comida, não! mas uma sandes (o que eu gosto de ouvir dizer: uma sandes! singular e plural assim misturado dá um toque de classe a qualquer merda)
- pode ser! quentinha por favor! muito obrigada!
- então e para beber o que vai ser?
- humm... pode ser um café numa chavena grande, daquelas de meia-de-leite.
- ah! um abatanado!
- como?!
- um abatanado!
- pois, um café numa chavena grande, isso!
Esperei para confirmar o nome do dito cujo quando viesse a conta: 2 sandes e 2 abatanado!
-Foda-se parece que estamos na china cara***. As merdas têm nomes tão distintos!
Arrotei ao abatanado toda a santa noite.




quarta-feira, 9 de outubro de 2013

Parabéns Querida!

Hoje é o aniversário de uma amiga!
Já a felicitei.
Mas hoje dói-me a alma, seja lá o que isso for!
Tenho um aperto no peito, não paro de pensar nela, sei que ela está mal, que sofre. E eu sofro com ela!
Não costumo verbalizar as minhas emoções, principalmente as boas. mas escrevi uma carta para acompanhar o ramo de flores que lhe vou oferecer.
No entanto e apesar de ter escrito o que me vai na alma (quase sem palavrões à mistura), sinto-me reticente em entregar-lha.
Não estou habituada a dizer gosto de ti...

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

Ó pá! fogo!

Por incrível que pareça não saiu palavrão! Antes sim, um "ó pá! fogo!"
Falei ao meu gajo que um dia gostava de estar presente numa procissão das velas em Fátima.
Hoje, avançou com gente para assegurar as francesinhas na noite de sábado e com a sogra para dar guarida por uma noite às suas ricas netas... e conseguiu! Tudo!
Algo me diz que ele também quer muito ir...
Mas seja como for, foi uma atitude querida e espontânea. 

a minha cachola devia ter uma ficha usb com escrita inteligente

Tenho tanta merda na cabeça que me sai com tamanha velocidade que não consigo reter quase nada para o dia seguinte.
Devo ter autoclismo incorporado em vez de um chip de memória.


e quando percebes que falaste pro cano?

30 anos volvidos, tomas conhecimento de algo que desde sempre soubeste mas nunca sequer mentalmente verbalizaste. Educaste um chavalo que é um gringo!

Esfolaste os joelhos quando te atiraste pró chão para o amparar, arranhaste os cotovelos quando te posicionaste à peixeira e fizeste peito para o defender do mundo; puxaste-lhe as orelhas quando entendeste que merecia (mesmo chorando em silencio) e não o deixaste perder-se quando o obrigaste a alinhar contigo diariamente por mais de um ano até ele atinar da chifralhada.
 
Por mais que queiramos manter a devida distância emocional, sangue é sangue. E alguém falar-te mal menos bem do teu caçula é algo que revolve as tripas e dá ganas de mandar alguém à bordamerda. Mas, e quando é verdade verdadinha o que te dizem? E quando ficas sem argumentos de defesa e pensas: pois é cara*** tens razão!

É. Engoles em seco e argumentas que não tens resposta.

Não há resposta. Há tão-somente uma enorme, colossal, descomunal e gigantesca vontade de lhe pregar dois estalos nas trombas e perguntar com quem é que ele aprendeu esta merda de postura? onde estão os princípios tão inabaláveis de vida que sempre ouviu,  e com os quais sempre conviveu? Será que há pessoas que, por mais que se faça, serão sempre diferentes de nós? Será que as minhas filhas não estão a ser as esponjas que aparentam? Será que vão mudar daqui a 10, 20 ou 30 anos?

Somos tão poucochinhas...

Têm sempre assuntos super interessantes sobre que falar horas a fio (e tempo para o fazer!)
Têm sempre agendas preenchidissimas com visitas e convites e embentos sociales
Cagam moda como o meu gajo caga o assado 2 horas depois de o comer... extraordinário!
Não têm dias maus com umas olheiras daqui até à lua, o mau feitio lá bem no alto e paciência para as criancinhas é coisa que não falta nas suas ricas casas. 
A maquilhajjjee é imperativa, nem que as crianças vão com o lampião aceso e as calças tão badalhocas que até reluzem. 
Rugas e palidez é algo com que o seu código genético não as bafejou, sorte sortinha!
Mas a cereja mo topo do bolo é que têm sempre o melhor marido do mundo! 
Familias perfeitas é o que é!
Como diria uma grande amiga: gosto muito da normal anormalidade da minha família!