quarta-feira, 12 de novembro de 2014

Estou-me a grizar como uma louca!

Aqui no estaminé, está a decorrer uma formação com as "gaijas" do escritório...
Estão neste momento a fazer simulações de atendimento telefónico em diferentes contextos.
Opá, a sério!!! Quésta merda????
Estão a achar uma piada do caralho, mas deviam rir-se era das suas fragilidades - e são taaaannntas caralho!
Quando a formadora sair, vem pálida certamente; no intervalo já cá esteve a vomitar e não foi nada bom!
Esta avaliação de desempenho vai ser um must!!!

Eu não devia estar a achar piada nenhuma; Deveria estar preocupada, mas juntamente com a vergonha que estou a sentir neste preciso momento, sinto também uma vontade enorme de lhes dar um par de bofetadas nas trombas e desatar às gargalhadas de seguida...

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

nem consigo encontrar um titulo para esta merda

- Ah!! vendeste o carro?
- Sim.
- E agora, andas de quê?
- Olha, de burro!!
- Oh! A sério, diz lá
- Com o outro
- E vais comprar algum?
- Sim! Um vdgjslmf
- Não acredito!!!! Sério???
- Siiimmmm
- Se comprares também compro um....
...
...
...
- E se eu cagar e comer, tu também cagas e comes? vai-te foder pá!





e a merda do acordo ortografico continua


há memórias que são putas de apagar...

IPO Porto...

As vendas e os quês!!!

Tens à venda um carro por 10.000€
Recebes um email: olá aceita 6.000€?
Respondes, respirando fundo já com vontade de o mandar apanhar nele: como calcula, a diferença de preço que propõe é inaceitável! Obrigada pelo contacto mas não estou interessada.
Recebes resposta: qual o valor mínimo?
Respondes de novo já a bufar e a pensar se te fosses foder majé: valor minimo 9.500€
Recebes nova resposta: obrigada de qualquer forma. é muito mais do que posso dar.
Ouve lá ó lambão! e procurar anuncios até 6000€, não????
E a burra sou eu? Sou! Se não respondesse a estas merdas não me coçava desta forma! Cum caralho pá!

segunda-feira, 19 de maio de 2014

De lábios pintados...

Acaba de chegar uma consultora cá ao escritório por quem tinha (e ainda tenho um cadito, vá!) g'anda apreço profissional. Vem de lábios pintados! brilhantes que só eles, a refletirem esplendorosa cintilação das nossas maravilhosas lampadas chinesas... acabou de perder aquele glamour que lhe tinha atribuido de gaja de armas e sabedora de coisas fantásticas pá! 

quinta-feira, 27 de março de 2014

e vão 3!

3 finais de tarde seguidos a tralhar na passadeira; 2,5 km.
e não estou a pensar desistir!
qualquer dia corro.

terça-feira, 25 de março de 2014

Só não pareço uma baleia porque não como peixe!

O tempo voa!
Já não vinha aqui há mais de um mês!
Entretanto muitas "cousas" aconteceram. 
Estou em fase de mudanças; não de casa, mas de vida; não de marido; mas interior; não de órgãos ou coisa que o valha; mas de estilo de vida!
Estou a deixar de fumar, pois parecia a chaminé da Facor, e a começar a fazer exercício físico, pois pareço uma baleia; segundo informações de quem percebe da poda sou estilo oval (fodasse, dá-me a sensação, que é desta!)
A Mãe foi operada e a vida desnorteou-se por uns dias... longas esperas, puxão de orelhas ao maninho, visitas, noites seguidas com 2 horas de sono, uma culpa enorme por não estar com as pequenas 2 noites seguidas e workshops pelo meio. Tudo isto me fez perceber que estou inquestionavelmente gorda e que preciso mudar! Como? Quem fuma muito e dorme pouco, tem pouco tempo de repouso entre os 2 maços do dia anterior para os 2 do dia seguinte e quem arfa por correr 50 metros e por sentir o coração piquinito tá fodido claramente também!
Estou em fase de assimilação da ideia e sei que vou conseguir, até porque sou pior que uma mula; quando encorno, é difícil ser demovida.
Só há um senão nesta merda que obriga a exercício físico. Eu tenho que o fazer em casa! pois não posso atrelar as pequenas comigo nas idas ao ginásio ou às danças ou a outras merda parecidas, até porque ia ser difícil mexer-me com a mais nova agarrada as minhas ganchetas...



sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Estarei a ser egoísta?

Já aqui falei na puta da psoríase...
É uma merda de uma doença de pele não contagiosa  (por isso, tranquilo) mas que fode os cornos a uma gaja principalmente quando está em fase aguda.
Lidarmos com um corpo deformado por "feridas" incontroláveis é do caralho! 
Aquela sensação boa de sair a correr do banho sem tempo para creme corporal ou até enxaguar os obidios com cotonetes, com a roupa ainda meia colada ao corpo porque não nos secamos devidamente... esquece, nunca mais volta! Tive que deixar de tomar duche de manhã, pqp, porque com 2 crianças para tratar sozinha e sem tempo para esperar que os cremes besuntais sequem, a solução é mesmo tratar desta merda à noite.
E realmente é o menor efeito secundário desta merda, andarmos sempre besuntadas, com as pernas a colarem uma à outra, com os cotovelos colados à roupa e a canalha a teimar tocar sempre quando não deve.
A parte pior de assimilar é a deformação do nosso corpo. É o deteriorar do estereótipo de beleza que temos de nós próprias enquanto mulheres! É a decadência do nosso amor-próprio, da nossa fé que amanhã com este creme estarei melhor; quando acordar provavelmente já vou notar alguma melhoria… É manter em alta a esperança de que amanhã será diferente; é ansiar pelo verão mas ao mesmo tempo repudiá-lo pois não poderei usar calções nem mangas curtas nem decotes (e eu que adoro cabeados, sofro dos calores) e inevitavelmente, alguma das lesões vai saltar por alguma brecha na indumentária.
Enquanto penso nesta amálgama de sensações dou por mim muitas vezes (demasiadas) a sentir-me ingrata com a vida; outros há que têm doenças incuráveis e mortais; por isso nunca exteriorizo estas e outras reclamações, a não ser aqui que posso dizer que caralhos me apetece, porque por pior que me sinta, ainda não tenho à vista o meu prazo de validade como outros têm e que, mesmo assim encontram forças para viver cada dia que passa e não somente esperar que passe o dia… 
Será justo isto que sinto? Será legítimo este meu mal-estar? Ou não consigo ser indulgente o suficiente para passar por isto de ânimo leve como deveria?

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Inconsegui perceber um caralho!!!


????

Não? Nada?

Eu traduzo: Assunção Esteves e o inconseguimento duma Europa não conseguida
 




Dessem-me outro passado e não seria assim certamente#2

A sério que gosto de animais e assim; mas pessoal que diz que, chegado a casa depois de um difícil dia de trabalho, a única coisa que querem e que os anima é o miminho do kiko, da kika, do titi e da mimi... fodasse pá!!!
E os filhos? e o gajo?
Mais máscaras, fachadas lindas de morrer que desabam à mínima fricção de ar....

Quando o verniz estala

Quando o verniz estala (foda-se que uso gel) entre gajas fofas é uma emoção do caralhão pá!
Gosto de me recostar na cadeira ou encostar-me à parede, depende do local da bronca, e apreciar... saborear muito lentamente e com as papilas gostativas ao rubro (só não coço os tomates porque não os tenho), a galinhice.
E penso que afinal sou normalzinha, só não uso máscara!


terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Como correu?

A propósito deste post marquei reunião para um sábado à tarde (sim!!! eu não tenho puta de merda nehuma que fazer em casa ao fim de semana e gosto, adoro, sou louca louquinha, por vir à merda do estaminé ao sábado!) mas como contava assim com uma grande cena, entendi que esta não deveria ter direito a espetadores.
Comecei de forma direta, espetando bem forte o dedo nas feridas principais assim de xofre, de peito feito à espera de alguma reacção. Que o pariu! Ah, pois e tal, e és mesmo importante e percebeste tudo mal e eu tenho problemas, sou assim disparatado às vezes, mas tenho bom coração... e chorou (lacrimejou, vá) e o caralho!
Ó pá! a sério? Mas quais são os teus problemas? escolher o tasco onde vais parar hoje, ou ter que correr muito porque estás atrasado para o torneio de sueca?? vai cagar meu! eu também tenho bom coração, só não choro porque sou uma puta sem sentimentos como todos julgam. e depois? depois merda para ti! para as tuas palavras, para as tuas arreliações, quero que te fodas. não vergas a mola, ok. és patrão e eu aceito e cago de alto nisso, agora teres a mania que és "superior" isso é que não! ser malcriado, mal educado isso nunca. Eu bazo, sem problemas, passa a carta. Vá! Passa caralho! 
Resultado? Sumo? Decisões? Sensações? Merda nenhuma! 
A bola ficou do lado de lá: pensem, falem os dois e depois digam-me alguma coisa...
Eu estou devidamente sentada para não cansar o meu real cagueiro porque de pé faço força nas bochechas do cú!
Eles têm até ao final detsa semana. a ver vamos.

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Dessem-me outro passado e não seria assim certamente


Expludo com imensa facilidade. Qualquer coisita e lá vai ela: grita, abana-se toda, curva-se e pragueja a sete ventos como se não houvesse amanhã.
Mas estou a passar uma fase bastante conturbada a nível profissional o que me rouba o discernimento para separar o trigo do joio, ou seja, o trabalho da família.
Emotiva a 200%, quando estou fodida, estou mesmo fodida, assim tipo: pra tudo! Bem tento, mas é um sentimento que me transcende, uma capacidade que sinto cada vez mais longínqua de conseguir alcançar. Quando reparo nos estragos instantâneos que estas minhas detonações estão a causar em meu redor, bato com a cabeça na parede e penso: estúpida de merda! Pára já! E paro. E reflito. E penso que sou uma merda, um verdadeiro poio bem grande e mal cheiroso e que devia enfiar as fuças na cagadeira e descarregar o autoclismo aí umas cem vezes seguidas. Depois de me autoflagelar uns bons minutos, respiro fundo e rearmo o meu cérebro para a função normal, desligo o complicómetro e retorno à minha normal anormalidade. Se bem que temporárias estas fases moem-me a alma.
Quando passo muitos dias à espera que chegue a hora de fugir do trabalho é sinal que anda merda na costa. Na maior parte das vezes, tanto na questão laboral como em tudo o resto na minha vida, não consigo verbalizar nem tão pouco organizar as minhas ideias perante certos sentimentos e revoltas que vão surgindo (como pintas de varicela, hoje uma, amanhã duas, depois dez, depois mil e a seguir fode-se tudo) logo aos primeiros sinais. Há pessoas que são tão assertivas no imediato quanto aos seus sentimentos e sentidos que até me chocam. Eu não. Sou assim tipo caracol, preciso de tempo para engolir, digerir, para ruminar e só depois, depois da explusão final, paro e regurgito tudo; aí sim de forma ponderada e assertiva. Depois? Depois é sair da frente que quando está tudo em ponto de rebuçado, sai discurso de levar às lágrimas os visados. Está marcado. 

Vai sair merda...

Estou aqui a equacionar seriamente a hipótese de me dedicar durante 1 ano de novo ao estudo.
Sempre quis tirar um mestrado na FEP.
E palpita-me que está a chegar a hora.