quarta-feira, 29 de junho de 2016

Report day2 (#Falsamagra)

De sexta, passou para sábado, em seguida para domingo. Na 2ªf fiquei encravada no transito e tive (obrigatoriamente) que adiar.
Terça feira foi o dia.
Foi doloroso perceber o meu corpo a tremelicar e sem força para merda nenhuma.
Fisicamente foi fácil. O restante custou caralhos!
Desde que fui mãe, nunca mais este corpinho se exercitou a não ser nas lides diárias e naquela parte coiso e tal da intimidade;e foi este o cenário dantesco que esbocei à PT (coitada, quase enfartava). Ora, assim sendo, ela estudou tudo com muito cuidado e traçou um plano light, basicamente para reumáticos fumadores, que me assentou como uma luva, confesso.
Entre dores musculares e uma vontade enorme de me atirar para o meio do chão, equaciono agora tentar depuralina extra forte e esquecer a actividade física que me cansa imenso (e sim, só lá vão 2 treinos).
A bem da verdade, para já, vejo uma única vantagem nesta aventura: vou certamente enriquecer o meu já extenso léxico de vernáculos cabeludos.

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Tá quase... respira!

Começa hoje um novo projecto a par de um outro importantíssimo que entra na recta final esta semana...
A PT diz que sou uma falsa magra (a puta) e vai-me estrafagar os ossos naquelas putas daquelas máquinas horrorosas que mais parecem máquinas de tortura com tanto ferro e cordas e o caralho.
No próximo fim de semana, caso ainda respire e ainda tenha bracinhos para escrever para a posteridade (ou para quando me apetecer desistir), escreverei o que senti em cada uma destas aventuras que se aproximam a cavalgar.
Ainda ontem começamos e dia 2 e 3 estão à porta. E desta vez, até houve tempo para respirar antes da investida final. Parece mentira e assusta, assusta muito a normalidade e o cumprimento de prazos (nota-se muito que estou habituada a andar sempre a mil e com o menino nos braços a cagar entre o milho?)

sexta-feira, 3 de junho de 2016

Foda-se! Mas é que nunca se satisfazem com merdinha nehuma

A internet tem sido palco de linchamentos públicos de atitudes, algumas condenáveis, a meu ver, mas que pelas quais raramente me pronuncio em publico.
Entendo que, se nada de proveitoso vou trazer a qualquer discussão, me devo remeter ao silencio. E acredito plenamente que todos os deveríamos fazer, evitando-se assim embates e trocas de galhardetes completamente estéreis, cobertos de bolor e a tresandar a mofo. Temos o direito a opinar mas não nos assiste o direito de ofender. Temos o dever de denunciar, mas não de remeter qualquer julgamento vinculativo à praça publica, pois aqui não se decide absolutamente nada, a não ser linchamentos aparatosos e festivaleiros sem a isenção e distanciamento necessários.
Hoje li que o Cristiano Ronaldo (tadinho do moçoilo) doou 600 MIL EUROS a uma instituição qualquer (não memorizei o nome, confesso). Ora, da mesma forma que se condena a taróloga, o José Cid, o Markl, os deputados e todo o chorrilho interminável de anormais que vomitam alarvidades em esguicho há séculos, dever-se-ia aplaudir o moçoilo pela atitude que teve. Mas não. Lê-se de tudo. E eu, que não sou gaja de me espantar com quase nada dado o avanço da idade, fico boquiaberta, fico estarrecida a ler merdas do tipo, não fez mais que a sua obrigação, devia era dar à associação x ou à y.
A sério que este pessoal está assim tão de mal com a vida que nunca tem nada de proveitoso a dizer? Não há um: boa! caralho pá, és o maior! parabéns pela atitude ó morcão!
.....................................
Foda-se! Mas é que nunca se satisfazem com merdinha nehuma.
(e a maluca sou eu, certo?)